Feeds:
Posts
Comentários

O software GESCAD (Gestão do Cuidado na Rede de Atenção Domiciliar), versão 2.0,  é um Registro Eletrônico de Saúde (RES) desenvolvido pelo grupo de pesquisa Recriar-se/GEPS/Nesprom que permite às/aos profissionais, às/aos docentes e às/aos estudantes da saúde realizarem a atenção domiciliar integral ao paciente, sua família e ao cuidador. Esta tecnologia pode ser utilizada tanto na assistência no âmbito do SUS, quanto nas atividades de ensino, de pesquisa e de extensão, na formação das/os profissionais de saúde.

Este Prontuário Eletrônico do Paciente (PEP), totalmente on line, conta com três dimensões para ampliar a abordagem do cuidado, na perspectiva integral das Redes de Atenção Domiciliar (RAD), quais sejam: a-contexto sócio-familiar e abordagem ao cuidador; b-a anamnese e a clínica da/o paciente; c-Atividades da Vida Diária (AVD). O PEP Gescad possibilita a classificação das/os pacientes por tipo de AD (1, 2 ou 3)/SUS, o registro e histórico das evoluções, o agendamento de visitas e o gerenciamento dos fatores de risco pelas Equipes de AD, nos diversos níveis de atenção. A ferramenta possibilita ainda migrar pacientes entre equipes, com geração de relatórios.

Esta tecnologia, cuja versão 2.0 totalmente amigável e intuitiva foi financiada pelo edital PPSUS/Fap-DF, encontra-se em fase de testes finais de usabilidade com os usuários da aplicação (profissionais de saúde, docentes e estudantes), para que possa ser disponibilizado às equipes de AD  em todo o Brasil.  Em breve, mais informações sobre o Gescad 2.0 !

Para acessar o sistema, clique aqui ou na aba ‘GESCAD 2.0‘, acima.

Para saber mais sobre o GESCAD, acesse o artigo publicado, aqui

Durante todos os dias e horas do ano, e não apenas no dia ou mês de março, dedicados à mulher, lutemos por mais ‘Violetas’, sejam elas pessoas, flores, cores ou jogo de tabuleiro. Uma homenagem do núcleo de pesquisa Recriar-se/Nesprom pelo 8 de março ! Acompanhe alguns momentos ‘Violetas’ em 2016 e 2017 !

cartaz_logo

Acontecerá nesta 5a feira, dia 9 de fevereiro de 2017, no CIES/IUL/ISCTE, Lisboa-Portugal, o colóquio internacional Migrações e Cidadania: Políticas e Práticas, com a participação de investigadores da Europa e da América Latina. O evento é uma realização do Projeto de cooperação internacional GOVDIV EU-Latin America, cujo principal objetivo é consolidar programas de formação e de investigação interdisciplinares internacionais voltados para a gestão de diversidades culturais, de minorias e do poder de agencia dos imigrantes.

O grupo de pesquisa Recriar-se/Nesprom, da UnB, Brasil, compromissado com as articulações interistitucionais em prol da cidadania transnacional, participará do evento.

Confira a programação:

comprogramacao

Investigadoras especialistas em gênero, em Lisboa-PT, discutem os temas a serem abordados no Vidas Vioeletas

Investigadoras especialistas em gênero, em Lisboa-PT, discutem os temas a serem abordados no Vidas Violetas

Na ultima 4a feira, dia 2 de novembro, aconteceu no ISCTE/IUL, em Lisboa-PT, a Oficina de consensos com especialistas: concepção teórica e temas para a construção do jogo de cartas Vidas Violetas em Portugal e no Brasil. A atividade  integra o projeto de investigação sabática Diretrizes para a concepção e o desenvolvimento do VIDAS VIOLETAS em Portugal e no Brasil, em curso junto ao CIES/IUL/ISCTE. O  jogo de cartas Vidas Violetas: um jogo em que as mulheres dão as cartas é uma proposta que complementará o jogo de tabuleiro Violetas: cinema&ação no enfrentamento da violência contra a mulher, recém lançado no Braisl.  A dinâmica deste novo jogo contará com dispositivos temáticos que provocarão narrativas desconstrutoras dos estereótipos de gênero nas/os jogadoras/es, ambientado nas realidades de Portugal e do Brasil. Em vista das especificidades históricas, políticas e sócio-culturais de ambos os países, a atual fase da pesquisa pretende estabelecer linhas guias que nortearão a construção do Vidas, com base nas  identidades e singularidades dos contextos analisados. Como desdobramentos, pretende-se estabelecer uma rede solidária de pesquisadoras/es especialistas em gênero entre os dois países para a concepção teórica e desenvolvimento do Vida Violetas.

Nossos sinceros agradecimentos às/aos pesquisadoras/es participantes da oficina,  Dulce Morgado Neves, Alejandra Ortiz,  Sandra Saleiro,Thais França, Vera Rodrigues, Joana Patrício, Mário Santos e, especialmente à Beatriz Padilla, pela acolhida e entusiasmo desta projeto junto ao ISCTE/IUL. Abraços Violetas !

 

 

Público prestigia o stand o jogo Violetas no stand da ABen, no 68 CBen

Público prestigia  o jogo Violetas no stand da ABen, no 68 CBen, em Brasília

O Jogo Violetas: cinema&ação no enfrentamento da violência contra a mulher foi exposto no stand da ABen nacional e aprovado pelas(os) participantes do 68 Congresso Brasileiro de Enfermagem (68 CBEn), que aconteceu em Brasília-DF, Brasil, entre 27 a 30 de outubro de 2016. Na ocasião, as(os) congressistas trocaram experiencias, adquiriram os jogos e exploraram todas as potencialidades do jogo para as reflexões sobre a cidadania das mulheres. Agradecemos  à ABen nacional, nas pessoas das presidentes Profa. Dra. Ângela Maria Alvarez (gestão 2013=2016) e da atual presidente, Profa. Dra. Rosa Maria Godoy Serpa da Fonseca, pelo espaço e apoio irrestrito aos produtos e iniciativas do Recriar-se.

Um agradecimento muito especial a nossa compromissada e talentosa equipe, que compareceu durante todo o evento para divulgação, reflexões e venda do Violetas. Um grande abraço para  Laianna Victoria Santiago Silva.  Ingrid da Silva Ramalho, Dreissy Cristine Gomes da Silva e Juliana Maria dos Santos Silva. Confiram as fotos:

Este slideshow necessita de JavaScript.

jogoiscte_oficial

Profa. Dra. Beatriz Padilla e as investigadoras Tatiana Ferreira, Suelda Ferreira e Vera Rodrigues, durante a partida do Violetas em Lisboa, Portugal

O ‘Vidas Violetas’, próximo produto do Recriar-se, será um jogo de cartas complementar ao jogo VIOLETAS:Cinema&Ação no enfrentamento da violência contra a mulher que provocará narrativas cidadãs desconstrutoras dos esteriótipos de gênero. Este novo jogo contemplará as realidades  brasileira e lusitana no combate da violência contra a mulher. Para a atual fase de concepção do jogo, o projeto sabático ‘Diretrizes teóricas e conceituais para a concepção do jogo de cartas VIDAS VIOLETAS em Portugal e no Brasil’ esta em curso junto ao Centro de Investigação e Estudos de Sociologia do Instituto Universitário de Lisboa (CIES/IUL/ISCTE). No ultimo dia 30 de setembro, investigadoras de estudos relacionados a questão de gênero jogaram e avaliaram o VIOLETAS, utilizado como um problematizador para o VIDAS VIOLETAS.

Agradecemos às pesquisadoras e especialistas Beatriz Padilla, Tatiana Ferreira, Suelda Ferreira e Vera Rodrigues, pelas ricas contribuições avaliativas ! Confira as fotos:

Banner_SITE_CIAIQ_PTO artigo completo ‘Ludicidade, gênero e poder na concepção do jogo Violetas: cinema&ação no enfrentamento da violência contra a mulher’ , que contempla as bases teóricas do jogo , foi apresentado e publicado nos anais do Congresso Ibero-americano em Investigação Qualitativa (5 CIAIQ), ocorrido no ultimo mês de julho, em Porto, Portugal.

Na ocasião do evento, fizemos também o lançamento do VIOLETAS (confira o post), com excelentes repercussões internacionais sobre esta tecnologia lúdico-educativa que  ambienta as reflexões sobre o enfrentamento da violência contra a mulher de maneira inventiva, descontraída e inteligente.

Confira o artigo completo e os anais eletrônicos do CIAIQ com as demais produções científicas, aqui: artigo completo, anais do evento